Planeta Flix

10 filmes chineses recentes para assistir na Netflix

Volta ao mundoNunca no Brasil se falou tanto na China quanto nos últimos meses. Seja porque foi lá que começou toda essa história de Covid-19, seja porque é de lá que vem os insumos para produção da vacina contra o vírus, seja porque a China tem sido alvo de hostilidade de pessoas ligadas ao governo de nosso país.

A verdade é que, para a maioria de nós, brasileiros, a China é cheia de mistérios. Mas uma boa forma de conhecer um pouco do país asiático é assistindo aos filmes vindos de lá. A Netflix tem alguns, a maioria produzida em Hong Kong e Taiwan — sim, Taiwan também é China, a Wikipédia explica direitinho. 

Segue então uma lista de títulos disponíveis na Netflix, para quem quer entender melhor a China. Lembrando que tem muito filme de artes marciais e aventura, mas aqui vamos pular essa parte e nos deter em filmes mais próximos do cotidiano e relações pessoais.

Mulheres Ocultas (2020) — foto no alto
No dia em que faz aniversário, uma matriarca fica sabendo da morte do ex-marido, mas não adia a festa nem desiste de tomar a frente dos funerais, tendo que lidar com as objeções das três filhas e com a atual mulher do falecido. Um tocante drama familiar com cores almodovarianas e senso de humor, ambientado na cidade de Tayouan, em Taiwan.

The Soul (2021)
Chang Chen (O Tigre e o Dragão, também disponível na Netflix) protagoniza este drama, também produzido em Taiwan. O filme entrelaça conflitos familiares e trama de suspense, quando uma policial investiga o assassinato do presidente de um grande grupo empresarial e descobre uma intrincada teia de relações entre os parentes.

Seu Nome Gravado em Mim (2020)
Gravado entre Taiwan e Canadá, o longa levou o GLAAD (importante prêmio do cinema LGBTQ+) na categoria de filme para TV. A trama é sobre a paixão entre dois rapazes nos fins dos anos 1980. Justamente quanto acaba a lei marcial em Taiwan, mas permanecem a pressão familiar, a homofobia e o estigma social.

Amigos de Escola ( 2020)
As histórias de quatro homens na faixa dos 40 anos, amigos desde os tempos de colégio, se entrelaçam, expondo as frustrações pessoais e profissionais de cada um deles. O diretor tenta evitar o tom dramático e tomar o rumo comédia, mas nem sempre consegue. O resultado é, digamos, um drama aliviado em algumas sequências cômicas.

A Sun (2019)
As questões familiares voltam neste filme sobre a relação de um instrutor de autoescola com seus dois filhos, um inteligente e bom, o outro rebelde e com tendências à marginalidade. Um drama denso e melancólico sobre a natureza individual e o livre arbítrio, que vale cada minuto de sua longa duranção (2h 36).  Sete indicaçoes no Asian Film Awards — levou melhor filme, diretor, ator e atriz coadjuvante.

Longa Jornada Noite Adentro (2019)
Exibido na mostra Um Certo Olhar, no Festival de Cannes, o segundo longa do diretor Bi Gan foi definido como um filme noir belo e inovador. A trama mistura passado e presente, realidade e fantasia, na história de um homem que volta depois de 12 anos e procura uma enigmática mulher por quem foi apaixonado. Coprodução China-França.

Pérolas no Mar (2018)
Um drama romântico típico, que poderia se passar em qualquer lugar do mundo. É sobre um jovem casal que se conhece em um trem e vive uma grande paixão. Mas dificuldades acabam por separar os dois. Dez anos depois, eles se reencontram e têm chance de refletir sobre o que sentem um pelo outro.

Dear-Ex (2018)
O confronto entre uma viúva e o amante do marido dela, que ficou como beneficário do seguro, se desdobra numa série de situações inusitadas neste mix de comédia e drama,  escrito e dirigido pela dupla Chih-Yen Hsu e Mag Hsu.  O filme fez extensa e bem-sucedida carreira por festivais de cinema do continente asiático.

Ten Years (2015)
Realizado em Hong Kong, reúne cinco curtas de diferentes diretores ambientados em 2015, numa Hong Kong distópica, em que o governo pratica não só a repressão política como dita até as regras de convivência familiar. Uma evidente alusão ao controle da China sobre a região, que até 1997 esteve sob custódia do Reino Unido.

Mad World (2016)
Outra produção de Hong Kong. Interessante abordagem sobre pessoas bipolares, a partir da história de um corretor de ações com esse transtorno, obrigado a voltar a morar com o pai em um pequeno apartamento. Mesmo tendo se submetido a tratamento e melhorado significativamente, ainda enfrenta seu próprio passado e a exclusão social.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: