Guia de Viagem

Plataforma possibilita aluguel de piscinas em esquema AirBnB

Já reparou que parece que quem tem piscina em casa nunca usa? Por exemplo: dê uma volta em pleno domingo pelo Lago Sul de Brasília, uma das áreas do país com mais piscinas por metro quadrado, e provavelmente você verá 95% delas completamete desertas.

Uma plataforma de economia compartilhada recém-lançada no Brasil vem para acabar com essa “injustiça” com quem sonha em se jogar na água num dia quente, mas não tem como. “Piscina é um bem a que poucos têm acesso, mas que muitos gostariam de utilizar”, diz o empresário Marcos Vieira.

Vieira é diretor de Tecnologia e cofundador da Dovizin (www.dovizin.com), uma plataforma de aluguel de piscinas, que oferece às pessoas uma opção de lazer (para os hóspedes) e fonte mensal de renda (para os anfitriões). Funciona como um AirBnB de piscinas.

Quem tem e não usa pode anunciar e o interessados fazem a reserva. O valor do aluguel é cobrado por hora, o que permite ao anfitrião receber mais de um grupo de hóspedes por dia — o número limite de pessoas por grupo é determinado no anúncio.

Expectativa de expansão
A prática tem se tornado comum nos Estados Unidos, país com maior número de piscinas residenciais do mundo (10 milhões). O Brasil é o segundo, com três milhões. A plataforma já tem anfitriões em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Distrito Federal e Pernambuco.

Mas os diretores da empresa esperam atingir 250 anfitriões já em maio e dois mil até o fim do ano. “Assim como há 10 anos as pessoas não sabiam que poderiam compartilhar o carro com desconhecidos ou alugar um quarto em uma casa, em pouco tempo saberão que podem curtir uma piscina e fazer um churrasco com a família e os amigos no quintal ‘Dovizin’.” aposta Marcos Vieira.

Lançada há um mês, a Dovizin se ocupou inicialmente em testar todas as funcionalidades, para certificar-se que o serviço funciona independentemente do número de pessoas que acessem. Agora, começa a trabalhar o marketing e o comercial para buscar clientes (anfitriões e hóspedes).

Marcos Vieira, um dos fundadores da plaforma Dovizin

Segurança na pandemia
Como o projeto nasceu durante a pandemia, a plataforma teve desde o início preocupação com a segurança nos mais variados aspectos. Para começar, o sistema automatizado permite ao anfitrião realizar o check-in e o check-out do hóspede sem exigir contato direto entre as partes.

Por meio de um sistema integrado de troca de mensagens, hóspede e anfitrião podem se comunicar durante a reserva, sem contato físico. A plataforma traz também um página com recomendações de biossegurança,

Por exemplo: a Dovizin exige pelo menos uma hora entre reservas para garantir ao anfitrião tempo suficiente para higienizar o espaço para a chegada do próximo hóspede ou grupo de hóspedes. Esse tempo também garante que um grupos de hóspedes não se encontre no check-in/check-out.

Os criadores da plataforma também lembram que, de acordo com autoridades de saúde, o cloro usado na água mata o Covid-19, o que torna as piscinas um ambiente seguro em meio à pandemia. Portanto, a novidade pode ser uma alternativa para se fazer turismo sem sair da cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: