Comer & Beber

Queijo do marajó agora tem Indicação Geográfica (IG)

O queijo do marajó conquistou a Indicação Geográfica (IG), reconhecida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). A publicação foi feita no fim do mês passado na Revista de Propriedade Industrial e concede ao produto, genuinamente marajoara e paraense, a indicação de procedência.

Uma grande vitória dos produtores e do estado do Pará. A IG é a única propriedade industrial coletiva, benefício que se estende a todos os produtores do queijo feito com leite de búfala (respeitados os padrões que classificam o queijo do marajó) dos municípios de Cachoeira do Arari, Chaves, Muaná, Ponta de Pedras, Salvaterra, Santa Cruz do Arari e Soure.

Essas cidades integram o Arquipélago do Marajó, mais especificamente, os chamados Campos do Marajó, Microrregião do Arari, Mesorregião Marajó, no estado do Pará. Ou seja, a partir de agora, só pode ser chamado de queijo do marajó o queijo que for produzido nessas localidades.

“Essa titulação agrega valor aos produtos, traz renda e desenvolvimento com sustentabilidade em cadeia, pois abraça muito mais que o queijo, mas toda uma cultura regional”, diz Adriano Venturieri, chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental, para quem o fortalecimento da política da IGs da Amazônia é um importante caminho à valorização dos produtos e da biodiversidade da região.

Produção artesanal do Queijo do Marajó Fazenda São Victor.
Produção artesanal do Queijo do Marajó Fazenda São Victor (Foto: Divulgação)

Tradição familiar
A obtenção da IG beneficia pessoas como o casal Cecília e Marcus Pinheiro, produtores do Queijo do Marajó Fazenda São Victor, primeiro do Estado do Pará a obter o Selo Arte, que autoriza a comercialização interestadual do produto e dá garantia de qualidade.

O queijo da São Victor coleciona várias medalhas de ouro em competições nacionais e em 2019 conseguiu uma de prrata”, na quarta edição do Mondial du Fromage et des Produits Laitiers, realizado na França, com participação de 952 produtos lácteos de 15 países.

Cecília e Marcus iniciaram a produção de queijo em 2006, mas são a nona geração de uma família de queijeiros de Salvaterra. “Temos anotações de vendas da minha bisavó, em que comprovam que, em 1922, já trabalhavam com a produção queijeira voltada para vendas”, conta Cecília.

A Embrapa tem grande responsabilidade na modernização dessa história secular, trazendo novos conhecimentos para a cadeia produtiva do leite de búfala, com foco em tecnologias para o melhoramento genético dos animais, aliado às boas práticas em sanidade e alimentação.

unnamed
Victor, filho de Cecília e Marcus, aprende sobre o manuseio do queijo do marajó (Foto Divulgação)

Possiblidade de crescimento
O Pará possui o maior rebanho bubalino do país, com cerca de 520 mil cabeças, quase 40% do rebanho nacional. O Marajó se destaca nesse cenário como o maior número de animais, segundo dados da Pesquisa da Pecuária Municipal/IBGE (2018).

Desse contingente, apenas cerca de 5 mil animais do Marajó são dedicados à produção de leite, com produtividade média de 5 quilos/dia por animal e quase 100% da produção destinada à produção de queijo. Mas a produção média pode aumentar.

Segundo o pesquisador Ribamar Marques, coordenador do Programa de Melhoramento Genético de Búfalos com Inovação para o Estado do Pará (Promebull), por meio das tecnologias de boas práticas de manejo animal, manejo alimentar e nutricional, manejo sanitário e melhoramento genético, espera-se até triplicar a produção média de leite por animal exatamente nos municípios beneficiados pela IG.

“Com búfalas de genética superior, aumenta a produtividade de leite por animal reduzindo os custos para os produtores familiares que podem ter sua produção e renda triplicada, com um menor número de animais no pasto”, enfatiza o pesquisador, dando esperança de que no futuro será mais fácil (e mais em conta) saborear essa delícia paraense em qualquer parte do Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: