Livros

Dia Internacional da Felicidade: livros para pensar sobre o tema

Dia Internacional da Felicidade? Existe sim. É comemorado a cada 20 de março. Foi a ONU (Organização das Nações Unidas) que instituiu a data, em 2012, a fim de “promover a felicidade e a alegria entre os povos do mundo, evitando os conflitos e guerras sociais, étnicas ou qualquer outro tipo de comportamento que ponha em risco a paz e o bem-estar das sociedades”.

Está difícil ser feliz em meio a pandemia e desgoverno, mas justamente por isso o dia merece ser comemorado mais do que nunca. Na atual conjuntura, qualquer vibração nesse sentido está valendo. É preciso reagir e reivindicar o direito de todo ser humano à felicidade – será que até aqueles que promovem a infelicidade alheia?

Mas o que é, afinal, felicidade? Desde muito tempo, pensadores têm se dedicado ao assunto e compartilhado seus pensamentos em livros. Desde o filósofo grego Epicuro (341 a.C./271 ou 270 a.C.) até o Papa Francisco. Por isso listamos aqui alguns títulos que podem ajudar a quem procura o sentido da felicidade… e também sentir a felicidade.

Carta sobre a felicidade

Carta Sobre a Felicidade, de Epicuro, Ed Unesp, 56 págs.
O filósofo grego Epicuro acreditava que o propósito da filosofia era atingir a felicidade e dedicou sua vida a refletir sobre ela. Dirigida a certo Meneceu, a sua Carta Sobre a Felicidade é um clássico da bibliografia sobre a felicidade. A obra (curtinha) também está disponível em PDF na web.

A arte da felicidade

A Arte da Felicidade, de Dalai Lama e Howard C. Cutler, Ed. Martins Fontes, 376 págs.
O Dalai Lama e o escritor e psiquiatra americano Howard C. Cutler unem meditações budistas milenares a considerações atuais para mostrar como derrotar a ansiedade, a insegurança, a contrariedade e o desânimo do cotidiano.

A Felicidade Desesperadamente

A Felicidade, Desesperadamente, de André Comte-Sponville, Ed. Martins Fontes, 152 págs.
O filósofo materialista francês André Comte-Sponville usa aqui um recurso comum em seus livros: retornar aos antigos e colocá-los em diálogo com os pós-modernos e modernos. Assim, ele recorre de Epicuro a Woody Allen para defender o pensamento de que a esperança de ser feliz é o que nos separa da felicidade.

Sobre a Felicidade

Sobre a Felicidade: Uma Viagem Filosófica, de Frédéric Lenoi, Ed. Objetiva, 184 págs.
Já este outro pensador francês contemporâneo defende que ser feliz é aprender a escolher o que nos dá prazer, nossas companhias, nossos valores…. Para argumentar, viaja pelo pensamento dos grandes mestres, como Aristóteles, Platão, Buda, Jesus, Voltaire, Spinoza, Schopenhauer, Freud… Chegando até os neurocientistas modernos.

A Felicidade nesta vida

A Felicidade Nesta Vida: Uma Meditação Apaixonada Sobre a Existência Terrena, de Papa Francisco, Ed. Fontanar, 200 págs.
Evidentemente, de seu ponto de vista religioso, o Papa manda neste livro uma mensagem para todos aqueles que aspiram a felicidade: “Quem verdadeiramente fizer emergir as aspirações mais profundas de seu coração, perceberá que, dentro dele, há um desejo inextinguível de felicidade. Isso permitirá desmascarar e rejeitar as numerosas ofertas ‘baratas’ que encontrar ao seu redor”.

Os Mitos da felicidade

Os Mitos da Felicidade, de Sonja Lyubomirsky, Ed. Lexicon, 304 págs.
Psicóloga americana, a autora desconstrói diferentes motivos considerados por quase todo mundo como essenciais à felicidade e mostra como essa felicidade pode vir de situações das quais geralmente nada esperamos. Faz isso retratando dez momentos da vida adulta, incluindo relação com dinheiro, sucesso, relação amorosa e o amadurecimento.

A Felicidade é inútil

A Felicidade É Inútil, de Clóvis de Barros Filho, Citadel Editora, 288 págs.
Ao contrário do que o título pode indicar, o autor não defende que a felicidade não tenha valor. Pelo contrário, argumenta que o inútil pode ser bom e não prestar pra nada pode indicar uma preciosidade inestimável. Suas ideias são avalizadas pela Monja Coen, que assina o prefácio. Barros Filho é palestrante bastante solicitado e autor de livros sobre ética, felicidade, autoconhecimento e valores.

Felicidade Modo de usar

Felicidade: Modos de Usar, de Mario Sergio Cortella, Leandro Karnal e Luiz Felipe Pondé, Ed. Planeta, 160 págs.
O livro é uma compilação de ideias apresentadas por três dos mais populares pensadores brasileiros atuais durante debate realizado em 2018, em comemoração aos 15 anos da Editora Planeta no Brasil. Em clima de bate-papo, eles compartilham opiniões e histórias sobre as possibilidades da felicidade, concordando que, sim, é possível para qualquer um ser feliz, mas não o tempo todo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: