Planeta Flix

Séries para as férias: estas 6 vão te fazer esquecer o mundo real

GUIADepois de um ano difícil desses, a gente quer mais é desopilar, desligar a mente afundado no sofá enquanto devora os restos da ceia e planeja os dias melhores que certamente virão. Vem cá, amigx. A gente te ajuda. Nessa listinha esperta de programas tem um pouquinho de tudo: suspense eletrizante, comédia rasgada, revival dos anos 1990 e até série de TV com cara de novela.

Elas estão disponíveis aí, nos streamings da vida, e todas têm algo em comum: te fazem esquecer um pouco do mundo real, que só vai dar as caras quando você tiver que pegar de novo o controle remoto e “ir para o próximo episódio”.

MARATONE DE UMA VEZ

The Undoing (HBO)
Nova sensação do momento, a minissérie foi exibida recentemente na HBO em seis capítulos. O melhor de tudo é que já acabou, pode ser consumida de uma vez só no streaming. Nicole Kidman mais uma vez faz par com o escritor David E. Kelley — a dupla estava sacramentada no megasucesso Big Little Lies, que teve duas temporadas também na HBO (2017 — 2019).

Grace Fraser é uma terapeuta que tem um casamento feliz, filho bem encaminhado e muita grana. Claro que não ia ficar assim, né? Ela vê seu mundo desmoronar quando a estonteante Elena (Matilda De Angelis) é assassinada. Daí sobram suspeitas para o marido, o inglês Hugh Grant em papel bem distante das comédias românticas aos quais estamos acostumados a vê-lo, o pai, o veterano Donald Sutherland, e até para a própria, que parece estar escondendo alguma coisa.

O meio é um pouco arrastado e a personagem de Nicole passa quase o tempo todo com a mesma cara (reage, minha filha!), mas beleza, passa, é boa pedida, ainda mais num dia de bobeira, num fim de semana de preguiça, numa tarde de chuva…

CURTINHA, DO TAMANHO DE UM FILME

Amizade Dolorida (Netflix)
Parece que, devido à quantidade de séries lançadas à torto e a direito, o conhecido esquema 22-episódios-por-temporada dá lugar cada vez mais a um número sucinto de capítulos por empreitada. O público agradece, ninguém tá mesmo com tempo sobrando. Por isso, essa comédia é ideal para quem está com umas horas aí à toa, mas nem tantas assim. A primeira temporada do programa (a segunda já foi confirmada) tem apenas sete deles de 15 minutos cada.

O mote é o seguinte: Pete (Brendan Scannell), rapaz gay em busca de uma graninha a mais, resolve virar assistente da amiga. Só que ela, a Tiff (Zoe Levin), é uma dominatrix sadomasoquista. Nessa curta jornada, a dupla inusitada vai se envolver nas mais loucas confusões que nem na Sessão da Tarde… se a Sessão da Tarde pudesse mostrar cenas de golden shower.

FOLHETIM ON DEMAND

Gran Hotel (Netflix)
Há meses com reprises de novelas na telinha, que saudade dá de uma trama daquelas. Seus problemas acabaram. A Netflix possui em seu acervo uma série espanhola que poderia muito bem passar aqui no horário das seis da tarde.

Em Gran Hotel (2011-2013) as reviravoltas são inúmeras, os conflitos banais viram dramalhões e as pessoas descobrem tudo ouvindo atrás da porta ou lendo cartas que não são endereçadas a elas. Sem sexo e quase sem violência, nem palavrões, também se enquadra na categoria “para toda a família”. São três temporadas e quase 70 capítulos. Dá pra ver um por dia e o verão ainda continua.

Em 1908, por aí, Julio, um jovem obstinado, vai até esse tal Gran Hotel, no interior da Espanha, investigar o sumiço da irmã. Ele acaba se tornando garçom do local, repleto de intrigas e segredos, a maioria deles perpetrados pela família dona do negócio, os Alarcón.

Já que é meio novela, o Julio vai se apaixonar. Adivinhem por quem? Pela recém-chegada Alicia, uma das herdeiras dali, bela, justa… e prometida a outro. A série fez tanto sucesso que gerou versões em outros lugares do mundo, incluindo México, França e até os EUA.

COMÉDIA AGRIDOCE

A Maravilhosa Senhora Maisel (Amazon Prime)
Na idílica Nova York dos anos 1950, em um apartamento na área nobre da cidade, Miriam Maisel  leva a vida típica de uma mulher daqueles tempos com marido, filhos e pais abastados no apartamento de cima. Um belo dia ela leva um fora, é obrigada a voltar para o ninho, tem que arrumar um emprego e, enquanto isso tudo se desenrola, tenta a chance em um trabalho no mínimo inusitado, principalmente para uma jovem divorciada numa época ainda não tão tolerante com a liberdade feminina: o de comediante de stand-up.

Desde 2017, quando estreou, A Maravilhosa Senhora Maisel faz parte da lista de indicados e premiados da indústria televisiva americana. Justíssimo. O programa é uma delícia, mistura humor com um pouco de melancolia, tem direção de arte correta, figurinos lindos, cenários bem feitos…

E como se isso não fosse o bastante, o elenco brilhante, encabeçado por Rachel Brosnahan (House of Cards), ótima, ainda tem como destaques a nova amiga e agente de Miriam, vivida por Alex Borstein (a voz de Lois em Uma Família da Pesada), e o pai da moça, Tony Shalhoub (Monk), todos em sintonia perfeita com o conceito criado pela roteirista Amy Sherman-Palladino (Gilmore Girls).

RISADAS SEM FIM

Os Normais (Globoplay)
Das VHS gravadas sexta à noite, passando pelos boxes de DVDs e agora no streaming, Os Normais ainda é um programão. Já um clássico da comédia nacional, a série mostra as peripécias do casal Rui e Vani. Ele, meio paranoico, caretão, pinel de tudo. Ela… doida demais. O encontro deles, pontuado pela química incrível dos intérpretes Fernanda Torres e Luiz Fernando Guimarães, gerou três temporadas (2001-2003) e dois filmes (2003 e 2009).

Rever Os Normais também é uma bela maneira de matar as saudades de Fernanda Young, talentosíssima escritora e roteirista que nos deixou ano passado. Ela e o marido, Alexandre Machado, autores do texto afiado do programa, também escreveram Shippados, em cartaz na mesma Globoplay (Machado também assinou um dos capítulos de Amor e Sorte, sobre a pandemia, disponível na plataforma, dedicado à memória de Fernanda, lindo demais).

ÚLTIMA CHANCE

Friends (Netflix)
Falando em clássico da comédia, aí vai uma dica: dizem que Friends (1994-2004), talvez a mais bem-sucedida série do gênero de todos os tempos, vai sair da Netflix já, já. Com o fim anunciado ou não, quem sabe vale a pena rever seus episódios preferidos ou dar uma chance e assisti-los pela primeira vez? Claro, o tempo passou, algumas piadas envelheceram mal, algumas muito, mas, por outro prisma, o programa também quebrou paradigmas e levou muita diversão para as salas de estar do mundo todo.

Se você acaba de perder a memória ou voltou recentemente de sua abdução, eis aqui o enredo: seis amigos de 20 e poucos anos tentam viver na cidade grande enquanto buscam o amor e o reconhecimento profissional. São 10 temporadas, mais de 200 episódios, poucos ruins, muitos memoráveis. Vale a pena ver, rever, rever, rever, rever, que nem eu estou fazendo desde os anos 1990.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: