Comer & Beber Guia de Viagem

Alagoas tem, além de praias, ótima comida. Confira o roteiro

GUIAComo se não bastassem as praias paradisíacas, povo simpático e clima descontraído, Alagoas, ainda por cima, reserva ao turista boa comida. Maceió e a bela São Miguel dos Milagres — localizada a 93 km da capital –, são polos que reúnem o que o estado tem de melhor no quesito gastronômico.

Da carne de sol, típica do sertão, aos frutos do mar, comuns nas cidades litorâneas, as duas cidades têm de tudo para agradar aos glutões. Neste guia, você confere sugestões de restaurantes simples e sofisticados, para lanches ou jantares, todos eles com algo em comum: são experiências deliciosas.

Lembrando: antes de programar as visitas, é bom consultar as novas regras impostas pela Covid-19 aos estabelecimentos (as visitas aos espaços foram realizadas antes da pandemia). Pode haver limitações de horário de funcionamento e de ocupação da casa.

MACEIÓ

Bodega do Sertão Maceió _ Reprodução Facebook

Bodega do Sertão  (fotos acima e no alto)
A casa é uma das mais famosas da capital alagoana. Lá é possível provar pratos à la carte e no self-service, onde o bufê de saladas começa a refeição devagar, bem light. O bicho pega é em cima do fogão, com os pratos quentes: carne de sol na nata, arroz de queijo coalho, bobó de camarão, sarapatel, buchada… A dica é dar uma voltinha, reconhecer o terreno, e daí tentar colocar um pouquinho de tudo no prato antes de pesar (se não conseguir, volte para um segundo round). Guarde espaço para as sobremesas: bolos, sorvetes, frutas em calda, cocadas, ambrosia, pudins… O cafezinho coado é cortesia. Tem como melhorar? Tem. Antes de pagar a conta, faça a festa na vendinha ao lado do caixa levando para casa pimentas, cachaças e cuscuzeiras típicas.
Av. Dr. Júlio Marques Luz, 62 – Jatiúca, (82) 3327-4446

Akuaba _ Reprodução Facebook

Akuaba
Maceió também é ótimo destino para comida baiana de qualidade. No Akuaba, o acarajé, uma das mais famosas iguarias da Bahia, é tão bem servido que pode ser promovido de entrada a prato principal (dependendo da fome do cliente, claro). Ele vem com tudo separado para ser montado à mesa. O bolinho, crocante por fora, quentinho e macio por dentro, ganha reforço de camarão seco, vatapá, vinagrete e um caruru caprichado. No cardápio ainda constam diversos tipos de moquecas.
Rua Ferroviário Manoel Gonçalves Filho, 6 – Jatiúca, (82) 3325-6199

Wanchako _ Reprodução Facebook

Wanchako
O lugar, especializado em comida peruana e nikkei, mistura das influências andinas e japonesas, confirma a tendência da Jatiúca como bairro gastronômico de Maceió. Comandado pela chef Simone Risco Bert, o Wanchako possui decoração irreverente em que destacam-se os prêmios recebidos pela casa, reconhecimento pela comida bem feita e serviço no ponto. Passa-se muito bem escolhendo o tradicional festival de ceviches (peixe branco, em versão costaneira e camarão), mais o tiradito de pescado. No arremate, a pedida é o clássico suspiro limeño.
Rua São Francisco de Assis, 93 – Jatiúca, (82) 3235-2151

Restaurante Picui Maceió

Picuí (*)
Fundado por uma família paraibana, o Picuí é especializado em carne de sol mas ganha um toque de sofisticação por meio da criatividade e das técnicas do chef Wanderson Medeiros. Dois itens do cardápio, especialmente, são para guardar na memória: o pastel de Dona Fátima (em porção com seis de carne de sol e seis de queijo coalho, servidos com molho barbecue) e a picanha de sol assada na brasa (servida fatiada, com feijão tropeiro, macaxeira frita e pirão de coalho). Imperdível.
Av. da Paz, 1140 – Jaraguá, (82) 3223-8080.

sorveteria-bali-credito-para-facebook-oficial-1

Sorveteria Bali
Na contramão da onda de gelatos à moda italiana, em Maceió a Bali oferece sorvetes tradicionais servidos da maneira mais democrática possível, aquela em que o cliente escolhe os favoritos e paga por peso. Os sabores são bem variados, sem grandes invencionices. Na lista, constam exemplares de vários tipos de chocolate, sabores de diversas frutas, incluindo nordestinas tipo a mangaba, popular em Sergipe, e outros  com inspiração regional, como o de rapadura, inesquecível.
Av. Dr. Antônio Gouveia, 45 – Pajuçara (+ quatro endereços), (82) 3231-8833

SÃO MIGUEL DOS MILAGRES

Patrícia Bistrô
Localizado nos fundos de uma casa, o restaurante da chef Patrícia Possas, formada em Brasília, preza por cardápio enxuto. Os pratos são produzidos com ingredientes locais e apresentados de maneira sofisticada. Para abrir os trabalhos, o drink Vanilla Flower mescla vodca de baunilha com limão siciliano e maracujá. De entrada, os pastéis de moqueca de camarão podem ser apreciados com vinagrete de pimenta-biquinho. No rol dos principais, voto no polvo maçaricado com purê de abóbora, farofa de maracujá e espuma de coco. Outra opção certeira é o peixe em crosta de castanha, banhado por azeite de limão siciliano, junto de purê de batata doce ao perfume de baunilha e cumaru. Para fechar, bolo de rolo grelhado com calda de cachaça e sorvete de tapioca. Convém reservar.
Rua Eurico Marinho, 37, (82) 99175-3633

No Quintal _ Foto Reproduçao Facebook

No Quintal
Com endereço na famosa região da Praia do Toque, explora os espaços externos em diferentes ambientes. A cozinha fica a cargo do chef Lucas Nogueira. Como é costume local, o serviço preza pela simpatia. Um duo de entradas saborosas é minha sugestão: pastel de siri cremoso com massa feita na casa e a salada quente de polvo servida com torradinhas de alho. O astro da noite pode ser o prato com lagostins, farofa de pão e purê de jerimum, a abóbora para os não-iniciados em expressões nordestinas. Tudo regado à pimenta da casa. Café coado, cortesia do restaurante, mais o queijo coalho grelhado com mel de engenho, encerram a refeição com maestria. Assim como no Patrícia Bistrô, vale reservar.
Rua do Campo, s/n – Praia do Toque, (82) 99910-7078

restaurante-e-creperia-porto-dos-milagres-credito-para-bruno-jaques

Porto dos Milagres Restaurante e Creperia
Ao buscar algo diferente para comer em uma cidade onde imperam os frutos do mar, eis uma ótima opção. Ao lado da pracinha do povoado de Porto da Rua, o restaurante conta com atendimento impecável, além de trilha sonora cool. Os crepes são destaque com opções leves, tal como de muçarela, tomatinho cereja, azeitonas pretas e manjericão, ou mais substanciais — por exemplo, o Balanço do Mar, que tem linguiça toscana grelhada, queijo coalho, cebola caramelizada e tomates marinados. Para encerrar, a sugestão é uma inventiva receita onde o recheio do pastel de Belém português preenche o crepe tipicamente francês.
Rua Agnelo João dos Santos, 709 – Porto da Rua, (82) 99614-5294

Restaurante do Enildo - Crédito para Bruno Jaques (3)Restaurante do Enildo
Dá para sentar no salão, na área externa coberta ou até na areia, de frente para o mar. A moqueca de camarão vem dentro de um coco, com porções de pirão, arroz branco, farofa e vinagrete ao lado. Antes dela, o caldinho, também de camarão, a casquinha de siri, o polvo ao molho ou a macaxeira frita fazem bonito.  Mas o melhor fica para o final com uma sobremesa inesquecível, o petit gâteau alagoano. Ele nada tem a ver com o tradicional bolinho quente francês de chocolate servido com sorvete de creme. A versão do Restaurante do Enildo é uma divina cocada de forno ladeada por sorvete sabor tapioca. Vale cada mordida.
Rua da Praia, 9 – Porto da Rua, (82) 3295-1310

(*) Colaborou Rosualdo Rodrigues

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: