Cinema

Festival de Brasília faz edição online e focada em documentários

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2020 começa nesta terça-feira (15/12), mas o Cine Brasília, sua tradicional casa, estará vazio, diferentemente de como costuma ser todos os anos durante o evento. É que, devido à pandemia do coronavírus, a 53ª edição do festival será realizada por meios virtuais. Os filmes serão exibidos pelo Canal Brasil e pela plataforma Canais Globo.

Mas não é só isso que faz do Festival de Brasília deste ano atípico. Outra particularidade é o domínio de documentários na mostra competitiva, desta vez reduzidos a seis concorrentes. Desses, somente um é ficção, Longe do Paraíso (BA, foto no alto), de Orlando Senna, o que esvazia completamente a disputa pelos prêmios para atores e atrizes.

Causa estranhamento, ainda, a falta de uma cerimônia de abertura. O festival já começa, nesta terça, com a exibição, no Canal Brasil, às 23h, do primeiro longa concorrente, Espero que Esta te Encontre e que Estejas Bem, de Natara Ney – conhecida pelo longo currículo de editora, em documentários como Divina Divas e O Mistério do Samba. O filme é uma história de amor, contada a partir de um lote de cartas românticas encontrado em uma feira de antiguidades.

Brasil, cinema e Macunaíma
O momento político do Brasil ganha uma abordagem em Entre Nós Talvez Estejam Multidões (MG/PE), de Aiano Bemfica e Pedro Maia de Brito, sobre o cotidiano da Ocupação Eliana Silva, em Belo Horizonte, durante a última campanha presidencial. Já o cinema é assunto em outros dois concorrentes na competição de longas –- que ocorre até 20/12, sempre às 23h, no Canal Brasil.

Em A Luz de Mário Carneiro (RJ), Betse de Paula, mergulha na história do cinema brasileiro a partir do trabalho de Mario Carneiro, fotógrafo, artista plástico e um dos mais importantes diretores de fotografia do Cinema Novo. Em Ivan, o Terrível (RJ), Mario Abbade passeia pelo universo do diretor Ivan Cardoso, criador do subgênero cinematográfico “terrir”, mistura de chanchada, terror e suspense.

O sexto filme da mostra competitiva, Por Onde Anda Makunaíma? (RR) , de Rodrigo Séllos, faz resgate histórico e cultural de um mito que tem origem em etnias da tríplice fronteira Brasil-Venezuela-Guiana e em 1926 inspirou o escritor Mário de Andrade a criar Macunaíma, o herói sem nenhum caráter,  que seria uma síntese do jeito de ser brasileiro.

Entre-nos-talvez-estejam-multidoes_destaque
Entre Nós Talvez Estejam Multidões

Curtas e Mostra Brasília
Os curtas em competição poderão ser vistos a qualquer momento dos dias de festival na plataforma Canais Globo. Aí, diferentemente da mostra de longas, não haverá dificuldade na escolha de melhores atores e atrizes: dos 12 filmes concorrentes, somente quatro são documentais. Merece atenção República (SP), da dramaturga, diretora e atriz mineira Grade Passô, realizado em plena quarentena.

A plataforma Canais Globo também abrigará os filmes da Mostra Brasília, que reúne oito curtas e quatro longas — entre eles, o ótimo Candango: Memórias do Festival, de Lino Meireles, visto na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, e Utopia Distopia, em que o cineasta Jorge Bodanzky, mostra os primeiros anos da Universidade de Brasília, onde estudou, a partir de suas memórias afetivas.

Encontro com Ken Loach 
A edição virtual do Festival de Brasília inclui ainda extensa programação de atividades paralelas, com debates sobre os longas concorrentes, oficinas, mesas-redondas e um encontro com o cineasta britânico Ken Loach na quarta (16/12), às 11h, no YouTube da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF (Secec), onde acontecerá a maior parte dessa programação — algumas atividades serão na plataforma Zoom.

A memória do próprio festival será passada em revista nesta terça, às 15h, na mesa-redonda Brasília 60 anos – Filmes e personalidades que marcaram o Festival de Brasília, com presenças prometidas de Rosemberg Cariry, Julio Bressane, Neville D´Almeida, Helena Ignez, André Luiz Oliveira, Walter Carvalho, Luiz Carlos Barreto e Jordana Berg. Quase uma versão ao vivo do filme de Lino Meireles.

Confira aqui a programação completa do 53º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: