Livros

Site, filmes e reedições marcam centenário de Clarice Lispector

Esta semana é marcada pelo centenário de nascimento da escritora Clarice Lispector. A autora de A Hora da Estrela, entre outras obras que hoje são clássicos da literatura brasileira, nasceu na Ucrânia em 10 de dezembro de 1920, naturalizou-se brasileira e se tornou uma das principais autoras do país.

E no próximo dia 10, data de nascimento de Clarice, o Instituto Moreira Salles de São Paulo põe no ar  um portal com fotos, manuscritos, áudios, vídeos, cartas, aulas e textos críticos, grande parte proveniente do acervo da escritora, sob a guarda do IMS desde 2004.

Entre os destaques está uma aula em vídeo da professora Yudith Rosenbaum, especialista em Clarice. Criada especialmente para o lançamento do site, a aula interpreta o conto Felicidade Clandestina, de 1971, percorrendo camadas de sentidos encobertos e ao mesmo tempo revelados pelo jogo da linguagem.

Captura-de-Tela-2020-12-02-às-13.24.32-1024x486
O site dedicado a Clarice pelo Instituto Moreira Salles

Além disso, duas adaptações cinematográficas de seus livros foram feitas para este ano. O primeiro é O Livro dos Prazeres, de de Marcela Lordy (a partir de Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres, de 1969) foi destaque na 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Simone Spoladore estrela.

O segundo, ainda sem previsão de estreia nos cinemas, é A Paixão Segundo G.H., adaptação do romance homônimo publicado em 1964, feita por Luiz Fernando Carvalho. Maria Fernanda Cândido interpreta a protagonista, G.H.

O Livro dos Prazeres
Simone Spoladores e Javier Dolas no filme O Livro dos Prazeres

Mas desde o início do ano, vêm sendo realizados projetos em homenagem ao centenário de nascimento de Clarice Lispector. A editora Rocco, que detém os direitos de publicação de seus livros, colocou no mercado a obra completa da escritora em 18 edições comemorativas.

Um detalhe que torna as edições especiais é que as capas dos volumes, inéditas, expõem um aspecto pouco conhecido da vida da autora: sua dedicação às artes visuais. Todas as imagens foram pintadas por ela, que produziu 22 telas em meados dos anos 1970.

A editora também acaba de lançar Todas as Cartas, volume com correspondências escritas por Clarice Lispector ao longo de sua vida. Organizadas por décadas (dos anos 1940 a 1970), as cartas endereçadas a amigos escritores como João Cabral de Melo Neto, Rubem Braga, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos, Lygia Fagundes Telles e Mário de Andrade.

Entre os anos 1940 e 1970, Clarice Lispector escreveu romances, livros de contos e infantis. Também atuou como jornalista, deixando um grande acervo de crônicas e correspondências que mais tarde foram organizados em livros. Ao mesmo tempo, suas obras nunca deixaram de ser reeditadas.

O Uol tem um interessante e completo material para quem quer conhecer mais sobre Clarice e sua obra. Recomendável também é o elogiado Clarice, uma Biografia, de Benjamin Moser, lançado em 2009 pela Companhia das Letras e relançado em 2017 com posfácio inédito e caderno de fotos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: