Livros

30 romances clássicos e uma curiosidade sobre cada um deles

A Peguin completou 10 anos no Brasil. E, para comemorar o aniversário, a editora organizou, além de uma promoção de seus livros na Amazon, o Festival da Peguin, uma série de bate-papos e depoimentos sobre autores e livros célebres, transmitidos por meio de lives — mas ainda disponíveis no YouTube.

Fora isso, a editora publicou em uma recente newsletter uma lista muito legal, com 30 clássicos da literatura — todos já lançados pela Peguin –, com uma curiosidade a respeito de cada obra. Como achamos que merece ser compartilhada, pedimos licença para reproduzí-la aqui:

unnamed

1. Grandes Esperanças: Originalmente escrito como um folhetim em uma revista inglesa, Grandes Esperanças foi publicado entre 1860 e 1861. O livro é considerado uma das grandes obras-primas de Charles Dickens.

2. Os Miseráveis: Os miseráveis foi organizado para ser lançado simultaneamente em oito cidades diferentes: Alemanha, Bruxelas, Budapeste, Milão, Roterdã, Varsóvia, Rio de Janeiro e Paris.

3. Sobre a Brevidade da Vida: Depois de um longo exílio político, Sêneca voltou a Roma em 49 d.C. para ser preceptor do jovem Nero, que o transformou em seu principal conselheiro ao tornar-se imperador. Porém, em 65, foi acusado de conspiração e obrigado a cometer suicídio.

4. Mulherzinhas: Assim como a protagonista Jo March, a autora de Mulherzinhas, Louisa May Alcott, também tinha três irmãs.

5. As Flores do Mal: A primeira versão de As  Flores do Mal foi lançada em 1857 e contava com 101 poemas, mas, após a publicação, o livro foi apontado como um atentado aos bons costumes e só pôde voltar a circular mediante o pagamento de uma multa e a retirada de seis poemas para a segunda edição.

unnamed (1)

6. Mrs. Dalloway: A protagonista, Clarissa Dalloway, aparece em outras obras de Virginia Woolf, incluindo o primeiro romance da escritora, A Viagem, publicado em 1915, e outros cinco contos.

7. A Arte da Guerra: O livro A Arte da Guerra representava um dos alicerces da teoria militar chinesa, de forma que, para receber a nomeação imperial a cargos militares, essa leitura era obrigatória.

8. Os Sertões: Em 1904, Euclides da Cunha foi nomeado chefe de uma comissão formada por brasileiros e peruanos com o objetivo de cooperar para a demarcação de limites entre o Brasil e o Peru.

9. Úrsula: Considerada uma das primeiras romancistas negras brasileiras, Maria Firmina dos Reis, autora de Úrsula, é uma das precursoras da temática abolicionista na literatura nacional, anterior até à poesia de Castro Alves.

10. O Vermelho e o Negro: O nome Stendhal, na realidade, é um dos mais de 170 pseudônimos do escritor Henri-Marie Beyle. O pseudônimo surge pela primeira vez na narrativa de viagem Rome, Naples et Florence e volta a aparecer para a publicação, como romancista, de O Vermelho e o Negro.

unnamed (2)

11. Dom Quixote: Miguel de Cervantes, o autor de Dom Quixote, perdeu o movimento da mão esquerda durante a Batalha de Lepanto, em 1571.

12. Orgulho e Preconceito: Originalmente, a obra se chamaria First Impressions (Primeiras Impressões, em português), mas, ao final, Jane Austen optou pelo título hoje consagrado. O livro foi publicado anonimamente em 1813, sob o pseudônimo By a Lady.

13. Ulysses: Toda a narrativa de Ulysses transcorre em apenas um dia, 16 de junho de 1904. Esse é o dia em que o autor, James Joyce, marcou o primeiro encontro com a sua esposa Nora.

14. Triste Fim de Policarpo Quaresma: O autor, Lima Barreto, faleceu jovem, em novembro de 1922. Por isso a maioria dos seus escritos foi publicada postumamente, incluindo grandes obras como Clara dos Anjos e Cemitério dos Vivos, entre as décadas de 1940 e 1950.

15. Os 120 Dias de Sodoma: O livro foi escrito durante a Revolução Francesa, enquanto o autor, Marquês de Sade, estava preso na Bastilha. Posteriormente, o manuscrito, que havia sido escondido pelo próprio Sade, foi encontrado na cela e publicado em 1904.

unnamed (3)

16. Hamlet: A mais longa peça shakespeariana é também aquela que tem o personagem com mais falas: o príncipe da Dinamarca. O castelo em que se passa a tragédia, Kronborg, é uma fortificação da cidade de Helsingør e foi considerado patrimônio cultural pela Unesco em 2000.

17. Dom Casmurro: Uma das obras mais conhecidas de Machado de Assis, Dom Casmurro teve sua primeira edição de 2000 exemplares esgotada antes que chegasse às livrarias e, até hoje, já foi traduzido para treze línguas.

18. Macunaíma: Mário de Andrade possui forte relação com a música, tendo estudado e atuado como professor. Em Macunaíma, existe uma estruturação musical na organização narrativa, assim como o suíte musical, conjunto de movimentos instrumentais dispostos com alguma unidade — e, no livro, os acontecimentos derivam de um evento central com temas correlacionados.

19. Fedro: Após uma viagem à Sicília, Platão funda a Academia, um ambiente de ensino e aprendizado. Foi nesse mesmo período que ele escreveu algumas das suas obras mais célebres.

20. Frankenstein: A ideia do livro Frankenstein surge em 1816 quando Mary Shelley e o marido passam uma temporada na casa de Lord Byron, que desafia seus convidados a escreverem histórias assustadoras. A primeira versão do livro foi publicada anonimamente em 1818.

unnamed (4)

21. Contos da Cantuária: Contos da Cantuária faz parte da tendência de adoção da língua inglesa na literatura, diferindo da usual adoção do francês e latim.

22. O Diabo no Corpo: Reymond Radiguet teve uma vida breve, nasceu em 1903 e faleceu aos vinte anos, em 1923. O Diabo no Corpo, publicado em 1923, foi recebido com aplausos, elogiado pelo público e pela crítica.

23. O Mal-estar na Civilização: O texto foi escrito em 1929, no contexto pós-primeira guerra mundial e às vésperas da quebra da bolsa de valores de Nova York. Foi publicado pela primeira vez em Viena, em 1930.

24. Madame Bovary: Gustave Flaubert levou cinco anos para finalizar Madame Bovary. Quando publicado, o livro foi considerado imoral e o autor foi levado a julgamento.

25. Odisseia: Odisseia é um texto que faz parte de uma cultura oral, ou seja, o texto foi constituído ao longo dos séculos por gerações de cantores que contavam essa história, até atingir a forma publicada hoje.

unnamed (5)

26. Ilusões Perdidas: Honoré de Balzac passou quinze anos se correspondendo por cartas com Ewelina Hanska, que só se tornaria sua esposa seis meses antes da morte do escritor.

27. Os Ensaios — Montaigne: Considerado o pai do ensaio, Montaigne era contra a educação livresca que pedia aos alunos que decorassem o conteúdo. Para ele, a educação deve ser voltada para o experimento e a ação.

28. Livro da Vida: A autora, Teresa D’Ávila, foi consagrada pela Santa Sé copatrona da Espanha e das Índias em 1627. Além disso, posteriormente, foi nomeada patrona dos escritores pela Universidade de Salamanca.

29. O Retrato de Dorian Gray: O livro foi publicado pela primeira vez em uma revista inglesa que suprimiu trechos, sem o consentimento de Oscar Wilde. Em 1891, publicou-se, dessa vez como livro, a edição revisada pelo autor.

30. O Príncipe: O Príncipe foi escrito enquanto Maquiavel estava em exílio, após a derrubada da República em Florença, e foi publicado após sua morte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: