Cinema

Rastro, festival virtual de documentários, já está no ar

Ofertas cuponsComeça nesta quarta (24/06) e segue até domingo (28/06) o Rastro – Festival de Cinema Documentário, mostra online de filmes documentais produzida a partir de Brasília, mas acessível em todo o Brasil por meio do site do festival. É a primeira edição da mostra, que exibirá 18 títulos e homenageia, na estreia, a cineasta Dacia Ibiapina.

A iniciativa é da Três Produz (as três que produzem são Bethania Maia, Rafaella Rezende e Renata Schelb) e a ideia inicial era realizar um evento presencial mesmo, no Cine Brasília, mas veio a pandemia do Covid-19, a quarentena e o trio teve que alterar os planos.

Confira a programação completa de filmes e atividades formativas no site do Rastro.

“Buscamos alternativas, cogitamos adiar, mas foi unânime a decisão da direção do Festival em seguir com o formato online, para que mantivéssemos nosso plano de acontecer anualmente em Brasília”, conta Renata Schelb.

Com o Rastro – Festival de Cinema Documentário, elas esperam criar uma janela anual para apreciação e discussão do documentário em Brasília. Também querem aprofundar questões relativas à realização de filmes nesse formato, que ganha cada vez mais adeptos entre realizadores de todo o mundo.

Vaga Carne
Vaga Carne (Foto: Divulgação)

Competição, paralelas e oficinas
Esta primeira edição traz sessões competitivas de longas e curtas-metragens, três mostras paralelas, duas oficinas, uma masterclass e conversas, que serão realizadas nas redes sociais do festival. E também playlists criadas para preparar o clima das sessões.

Os filmes ficam disponíveis por 24 horas conforme a programação diária (meia-noite a 23h59 de cada dia. Com isso, o público pode assistir a qualquer momento nesse intervalo de tempo. Já estão no ar (até 23h59 de hoje), os quatro títulos do primeiro dia:

Curtas
A Morte Branca do Feiticeiro Negro (2020, 10min20, de Rodrigo Ribeiro)
Tudo que É Apertado Rasga
(2019, 27min19, de Fabio Rodrigues Filho)

Média
Vaga Carne (2019, 45min, de Grace Passô e Ricardo Alves Júnior)

Longas
Virou Brasil (2019, 92min, criação coletiva do Video nas Aldeias)

Virou Brasil
Virou Brasil (Foto: Divulgação)

Votação do público
Somente Vaga Carne não concorre nas mostras competitivas, a produção mineira (apesar de ser um média-metragem) integra a paralela Mostra de Longas Brasileiros Recanto do Cinema, que reúne quatro títulos. Nos demais, o público poderá votar, dando nota de 1 a 5 estrelas após assistir ao filme.

“O Rastro tem o desejo de deixar marcas, reverberar, expandir-se através do encontro com cada pessoa que tenha acesso à programação”, afirma Rafaella Rezende. “O festival, ainda que em sua primeira edição, já se apresenta como uma janela de exibição capaz de conduzir o público por narrativas urgentes e plurais”.

A curadoria é de Amaranta César (professora adjunta de cinema e audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia), Melina Bomfim (realizadora audiovisual, curadora e produtora de mostras e festivais cinematográficos), Bruno Victor (formado em Audiovisual pela UnB e pesquisador em cinema negro LGBT) e Leticia Bispo (também ormada em Audiovisual pela UnB e mestranda em Comunicação na UFMG).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: