Cinema Planeta Flix

Cinema Virtual promove estreia online de filmes inéditos

Para quem sente saudades de olhar a programação de cinema toda quinta-feira para saber o que havia de novo nas telas, uma alternativa nestes dias de quarentena é acompanhar a plataforma Cinema Virtual, que está no ar desde 28 de maio. Ela foi criada pela Encripta, empresa especializada em distribuição digital de conteúdo audiovisual para dar continuidade às estreias semanais mesmo com as salas de cinema fechadas.

E mais: oferece ao público a chance de ajudar as redes de cinema, que estão inativas por força das circunstâncias. Funciona assim: na hora de comprar seu ingresso (R$ 24,90), você escolhe uma sala entre as que estão listadas no site: PlayArte, Cine Arte Pajuçara, Cine 14 Bis, Paradigma Cine Arte, Cineramabc, Kine Vitória, Cine Company, Cine Topázio Indaiatuba, Mobi Cine.

Se cinemas de sua cidade não aparecem na lista (de Brasília, por exemplo, não há nenhuma), você pode escolher qualquer uma. Mas tem que beneficiar um exibidor. A ideia é “manter a união de toda a cadeia, permitindo que as pessoas participem ativamente no apoio aos cinemas que frequentam e se associaram ao projeto”, segundo Felipe Lopes, diretor da Vitrine, distribuidora de Os Olhos de Cabul, um dos filmes com que a plataforma estreou.

Cada filme permanece em cartaz por até 15 dias. Depois disso, só chegará às demais plataformas digitais após uma janela de três meses. O pagamento é feito por meio de um cartão de crédito cadastrado e o espectador tem 72 horas para assistir ao filme a partir do momento da compra do ingresso. Os filmes podem ser assistidos no celular, no computador ou tablet e na smart TV (utilizando um Chromecast ou Apple TV, ou ainda o aplicativo do Looke).

Entre as novidades em cartaz no momento, além da animação francesa Os Olhos de Cabul, estão o suspense britânico Até Que Você Me Ame, de Edward A. Palmer, e os dramas O Sonho de uma Família, da italiana Ginevra Elkann, e Um Grito de Liberdade, do turco Mustafa Kotan.

Há também dois premiados no 7º BIFF (Brasília International Film Festival): Corpus Christi, do polonês Jan Komasa, vencedor da mostra competitiva (e que disputou o Oscar de filme estrangeiro), e Copperman – Um Herói Especial, do italiano Eros Puglielli, que levou o Prêmio do Júri BIFF Jr.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: