Comer & Beber

Miolo aposta em modernização, a começar pelo rótulo

Com uma história de 30 anos na produção vinícola da Serra Gaúcha, a Miolo vem resistindo bravamente à evolução do mercado de vinhos no Brasil. Para se ter ideia, foi a vinícola mais premiada do Wines of Brazil Awards 2019, realizado na ViniBraExpo, no Rio de Janeiro.

Foram 27 premiações, com destaque para o Miolo Single Vineyard Riesling Johannisberg 2018 e o Miolo Late Harvest 2012 Viognier Gewurztraminer, eleitos os melhores nas categorias Riesling do Brasil e Branco de Sobremesa do Brasil, respectivamente.

Mas o que garante a popularidade da vinícola é a linha Miolo Reserva, com oito rótulos (os tintos Cabernet Sauvignon, Tempranillo, Merlot, Tannat e Pinot Noir e brancos Chardonnay, Pinot Grigio e Sauvignon Blanc), que satisfazem quem busca vinhos honestos a preço em torno de R$ 50

Mas a vinícola não se acomoda e está disposta a se modernizar para não perder terreno. A partir deste mês, por exemplo, os vinhos da linha Miolo Reserva chegam às prateleiras com novo rótulo, exibindo uma identidade mais sóbria e moderna.

Confira livros e outros artigos relacionados a vinho na Amazon

E no contra rótulo, trazem o selo da The Vegan Society, que certifica os produtos como 100% veganos e livres de alergênicos — mais um diferencial da marca que acompanha as tendências de consumo e o novo comportamento dos consumidores.

“Depois de uma série de novos lançamentos e novos rótulos super premium e ultra premium, chegou a vez de incrementar e reapresentar a linha Reserva, a mais tradicional da Miolo, que iniciou com o Reserva Merlot Safra 1990”, explica Adriano Miolo, diretor superintendente da empresa.

E as novidades não só na aparência, mas nos próprios vinhos, “diante do resultado da Safra 2018”, segundo ele. E dá como exemplo o lançamento do Miolo Reserva Syrah, feito com uvas cultivadas nos vinhedos próprios da vinícola Terranova, na Bahia, no Vale do São Francisco — os demais são produzidos na vinícola Seival Estate, Campanha Meridional (RS).

É descrito na divulgação da Miolo como um vinho “de coloração violácea profunda, aromas de frutas vermelhas maduras como ameixa, nuances de defumado e especiarias, principalmente pimenta preta; redondo com tanino persistente e baixa acidez”. E mais: “Um vinho de média estrutura e intensa presença em boca”. A conferir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: