Culinária baiana ao alcance de todos

Jorge Washington é conhecido em Salvador por duas atividades que exerce: uma é a de ator no Bando de Teatro Olodum; a outra é a de chef de cozinha, com foco na culinária de ascendência afro. Aí ele junta os dois talentos — de se apresentar em público e de cozinhar — em aulas como a que dará em Brasília, no dia 11 de setembro, às 19h, no Foyer do Teatro Nacional.

Culinária Afetiva AfroBaiana é o nome da oficina que o afro-chef, como Jorge é chamado lá na capital baiana, dará nesse dia, dentro da programação do Festival Cara e Cultura Negra — que ocorre de 9 a 23 de setembro no Teatro Nacional Claudio Santoro, Cine Brasília e Espaço Cultural Renato Russo.

A aula é gratuita e aberta a todos os públicos. Nela, Jorge Washington vai ensinar como se faz carne de fumeiro (preparo típico da região do Recôncavo Baiano), com purê de banana da terra. “O doce da banana da terra com o salgado da carne de fumeiro é uma explosão sabores”, ele diz. E garante que a receita é rápida e fácil de fazer.

Lá em Salvador, Jorge Washington tem um projeto itinerante, o Culinária Musical, no qual prepara pratos como bacalhau martelo, galinha ao molho pardo, moqueca de feijão, xinxim de bofe e moqueca de miraguaia. E também receitas autorais, entre elas a maxixada de carne seca, a moqueca de carne seca com mamão verde e o fígado com maxixe.

Anúncios