Okubo fotografa vaginas de mulheres cis e trans

Em O Inventário, seu novo projeto de exposição-livro, o fotógrafo Kazuo Okubo vai registrar imagens de vaginas de mulheres, cisgênero e trans — pessoas passaram por cirurgia para redesignação de sexo.

Para Kazuo Okubo, o momento é ideal para se falar de um tema que é cercado de tabus e preconceitos. “Mais da metade de mundo tem uma vagina. Passou da hora de entender que não temos direitos sobre seus corpos”, afirma.

Malwee MalhasPara tanto, abriu em seu site inscrições a todas aquelas que queiram participar. As candidatas a modelo devem ser maiores de 18 anos, legalmente capazes e estarem cientes de que vão participar de um ensaio fotográfico de nu artístico.

Feita a inscrição, a pessoa interessada será contatada por Okubo para receber explicações mais detalhadas sobre o projeto. As sessões fotográficas serão realizadas no estúdio do fotógrafo, com acesso restrito à equipe e convidados da modelo.

“Existe uma beleza nas formas das vaginas de todas as mulheres que quando são retratadas podem surgir como imagens tanto realistas como idealizadas e líricas”, diz Kazuo Okubo. “Neste ensaio, busco reconhecer a naturalidade, o início do mundo como o fez Gustave Courbet, no século 19″.

Uruguai pode ser ainda melhor em fevereiro
Festival promete alta gastronomia acessível

O fotógrafo — que na verdade vem desenvolvendo a série desde 2004 — conta que, para além das idealizações ou usurpações do feminino, o que ele quer é entender “o que é a mulher, seu corpo, sua vontade, suas decisões”.

Rosely Nakagawa, que assina a curadoria de O Inventário, diz que o projeto “reúne a delicadeza das flores e a ousadia dos nus, obtendo um resultado poético e particular, despido de julgamento e contextualização da cultura Ocidental”.

A curadora destaca ainda a forte individualidade de Kazuo Okubo e a sua tradição oriental, onde, além da presença do nu, o rigor técnico e formal são ferramentas para exercer sua criatividade.

Anúncios