5 filmes nacionais para não perder em agosto

Tem muito filme brasileiro com estreia marcada para agosto. De comédia romântica com a dupla Ana e Vitória (Ana e Vitória, dia 2) a documentários sobre Hilda Hilst (Hilda Hilst Pede Contato, dia 2) e questões LGBT (Abrindo o Armário, dia 16).

De acordo com o calendário de estreias do site Filme B, serão 14 ficções e nove documentários — claro que nem todos conseguem chegar às salas de Brasília na data anunciada.

Entre documentários, dramas e comédias, o Boníssimo seleciona cinco filmes que por diferentes razões merecem ser conferidos. E, também, que têm mais chances de estrearem por aqui. Tome nota:

O Nome da Morte
O diretor de Jean Charles, Henrique Goldman, volta a contar uma história real, a de Júlio Santana, assassino profissional que matou 492 pessoas, a mando de fazendeiros do Pará, mas se considera um cristão, caridoso e bom. Marco Pigosi vive o personagem. O filme é inspirado no livro homônimo do jornalista Klester Cavalcanti. Fabiula Nascimento e André Mattos também integram o elenco. Estreia anunciada para o dia 2.

O Animal Cordial
Gabriela Amaral Almeida estreia em longa depois de cinco curtas premiados. O filme percorreu vários festivais (Rio, Moscou, Vancouver, Fantaspoa, Sitges…) e vem cercado de elogios. Irandhir Santos, Murilo Benício, Camila Morgado, Luciana Paes e Humberto Carrão estão no elenco da trama de suspense, passada num restaurante de classe média de São Paulo que é invadido por dois ladrões. Estreia anunciada para o dia 9.

Como É Cruel Viver Assim
Diretora de comédias como Meu Passado me Condena 1 e 2, Um Namorado para Minha Mulher e Ponte Aérea, Júlia Rezende promete um humor mais, digamos, mais amargo neste filme sobre quatro pessoas fracassadas que resolvem sequestrar o ex-patrão de um deles, esperando virar o jogo. Marcelo Valle, Fabiula Nascimento, Deborah Lamm e Silivo Guindane. Estreia anunciada para o dia 16.

Benzinho
A seleção para a competição do Festival de Sundance e a presença de duas atrizes de primeiríssima, Karine Teles e Adriana Esteves, já são motivos suficientes para não perder este drama, dirigido por Gustavo Pizzi (Riscado). É sobre duas irmãs de uma família de classe média e os problemas que enfrentam quando o primogênito de uma delas é convidado para jogar handebol na Alemanha. Estreia anunciada para o dia 23.

Ferrugem
O cineasta baiano Aly Muritiba também chegou ao longa depois de muita experiência em curtas. Estreou com Para Minha Amada Morta (que levou seis Candangos no Festival de Brasília de 2015) e agora lança Ferrugem. Dois adolescentes, Tati e Renet, trocam mensagens, fotos e música pela internet, mas o que parece uma história romântica toma outro rumo quando fotos dela vazam na web. No elenco, os jovens Clarissa Kiste e Dudah Azevedo contracenam com o experiente Enrique Diaz. Estreia anunciada para o dia 30.

Anúncios