Passado e futuro se encontram no Panamá

Por Arthur H. Herdy
Especial para o Boníssimo!

Quem acompanha a Copa do Mundo deve ter se apaixonado pelo Panamá. Estreante no Mundial, o time terminou a missão na Rússia antes mesmo de passar da primeira fase. Mas, pelo carisma dentro e fora de campo, ganhou o “troféu simpatia” do torneio.

E nesta quinta (28/6), às 15h, mesmo fora de competição, os panamentos enfrentam a Tunísia… Tudo isso é um bom motivo para você conhecer um pouco mais sobre esse país e em especial a capital dele, a Cidade do Panamá.

Desembarcar na cidade traz uma surpresa logo de cara, na saída do aeroporto para o centro. Ao longe, prédios altos, arranha-céus modernos e arrojados desenham um skyline digno de cidades como Dubai (Emirados Árabes) ou Xangai (China).

Cidade do Panamá/Foto: Arthur H. Herdy
O skyline remete a um filme futurista

Os cinéfilos certamente verão semelhanças com os traços futuristas do filme Blade Runner. Porém, essa modernidade toda é apenas uma das facetas. Nem só de grandes bancos e cassinos vive a cidade.

Os panamenhos também preservam a história deles, desde o Casco Viejo, parte antiga em processo de revitalização, ao Canal do Panamá, a maior atração turística do país. Vamos, então, dar uma voltinha por lá em quatro programas imperdíveis:

APRENDER
Maior atividade econômica do país, o Canal do Panamá é sem dúvida um dos pontos turísticos mais procurados. E ele, de fato, é surpreendente. Com localização privilegiada, o país sedia um feito monumental – ligar os oceanos Atlântico e Pacífico.

CP_Canal do Panamá - Crédito para Arthur H. Herdy (1)

O canal facilita a passagem de embarcações entre os dois oceanos. Mas não é tão fácil quanto parece. Os navios precisam entrar em espécies de tanques pequenos e esperar que a água suba ou desça até colocá-los nos níveis certos, como um elevador natural.

São as chamadas eclusas. A mais famosa delas é a de Miraflores, localizada na capital, do lado do Oceano Pacífico. Chegando por ali, navega-se mais 70km até a eclusa de Gatún, do outro lado do país.

Na Cidade do Panamá é um programão testemunhar esse encontro meio do homem, meio da natureza. Antes ou depois de assistir ao “espetáculo”, há um museu de quatro andares que mostra os detalhes da construção do Canal, iniciada pelos franceses e terminada pelos americanos, dentre outras minúcias desse fenômeno da engenharia.

PASSEAR
A melhor vista da Cidade do Panamá é longe do núcleo mais moderno e frenético. Mais precisamente a parte antiga da capital, o Casco Viejo ou Casco Antiguo. Em processo de revitalização, o local vem sendo reformado aos poucos.

E, assim, virou um dos locais mais charmosos do país. Os empresários estão de olho e no bairro surgem cada vez mais hotéis, restaurantes, bares e lojinhas, tudo bem estilizado.

Reserve pelo menos um dia inteiro para percorrer as ruazinhas (cuidado só com os andaimes, hein?). Veja a Iglesia de San José, o Arco Chato e a Plaza Simón Bolívar, só para citar alguns pontos.

Biomuseu na Cidade do Panamá/Foto: Wikimedia Commons
O coloridíssimo Biomuseu, projeto do canadense Frank Gehry

A Caminhada dos Bovédas reserva o skyline tão conhecido da capital panamenha. Outro programa bem agradável é dar um rolé pela Causeway de Amador, que lembra muito o brasiliense Pontão do Lago Sul, só que em dimensão maior. Prepare chapéu e protetor solar.

São 3km de calçadão, para percorrer a pé ou de bike, que pode ser alugada ali mesmo. Lá também fica o Biomuseo, dedicado à diversidade ecológica da região panamenha. O prédio coloridíssimo, projetado pelo canadense Frank Gehry, é uma atração à parte.

COMPRAR
Mesmo com o dólar nas alturas, a Cidade do Panamá é um paraíso para aqueles dispostos a renovar o guarda-roupa, trazer uns mimos para a família ou ainda comprar um perfuminho importado, vai. Isso se vê logo ao chegar ao Aeroporto de Tocumen.

Aeroporto de Tocumen/Foto: Reprodução site oficial
O que não falta é duty-free no Aeroporto de Tocumen

Uma infinidade de duty-frees surgem no caminho até a esteira de bagagens. Há também uma dessas lojas no centro da cidade, no Causeway de Amador, onde só se entra munido de passaporte.

Na capital do Panamá, ir ao shopping é um verdadeiro programa turístico. O grande destaque dessa lista é sem dúvida o gigantesco Albrook Mall (tem até um hotel dentro dele, só para você ter uma ideia).

Diz a lenda que se o visitante passar 10 minutos em cada loja, vai demorar 56 horas para percorrê-lo de cabo a rabo. Democrático, o local é dividido em alas batizadas com nomes de animais.

Albrook Mall
O gigantesco Albrook Mall: shopping com hotel dentro

Vai-se do golfinho ao gorila, de marcas mais caras, caso da Lacoste, à baratex Madison Store, loja de departamentos com camisetas de U$$ 1,99. Não deixe de conhecer a Arrocha, onde aqueles que curtem uma farmácia tem-de-tudo certamente farão a festa.

Se sobrar tempo, você pode prosseguir o passeio de compras no Multi Plaza. Nesse outro grande shopping, tem Hermés, Gucci e Tiffany’s. Mas também tem a Sanborns, a Lojas Americanas deles. Dá vontade de levar tudo.

COMER
Com vocação para a culinária contemporânea, a capital panamenha reúne bons estabelecimentos: o Caliope, localizado no perto do Casco Antiguo, no segundo andar de um prédio histórico transformado em boate, é um deles;

Sentado à mesa, é possível observar a montagem dos pratos na cozinha aberta, em ambiente descontraído e sofisticado (mas sem sustos na hora da conta, já que o prato mais caro do endereço custa U$$ 35).

Calíope Restaurante Panamá/Foto: Site oficial
Uma das delícias do Calíope (sem susto na conta)

Do cardápio diminuto e eficiente salta aos olhos a entrada Homenaje a Mi Tierra de entrada (raviólis de wonton recheados com ragu de pato, alho-poró confitado, espuma de queijo e toucinho crocante).

De principal, o En El Barrio (short rib braseado sobre cama de risoto de trufas e lascas de parmesão), e, de sobremesa, La Inocencia (chuchu cristalizado, sable breton, creme de gengibre, sorvete Fior de Latte e pimenta de Sichuan).

A carta de drinques robusta também faz valer a visita (em clima de Copa do Mundo, que tal um La Chica de Moscú, com vodca Grey Goose, amaretto, limão, xarope de agave e suco de abacaxi e canela?).

Topa Vieja do El Trapiche Cidade do Panamá

Já no campo das comidas mais tradicionais, ficam duas sugestões super em conta para o bolso dos viajantes. Primeiro o El Trapiche (Via Argentina), onde dá para experimentar a famosa ropa vieja, prato tipicamente cubano, mas que também faz sucesso por ali

Esse ensopado de carne desfiada com vegetais é servido na casa até em versão sanduíche. O menu também privilegia o sancocho, sopa de galinha com inhame.

Em vizinhança mais turística, o Mi Ranchito é uma excelente parada durante passeio pela Causeway de Amador. Beba uma cerveja Panamá lager e almoce um belo prato de frutos do mar.

Mi Ranchito_Corvina frita/Foto: Site oficial
Corvina frita do Mi Ranchito, na Causeway Amador

Foi uma delícia descobrir o Suvlas (Plaza New York), uma comida grega rápida de tirar o chapéu. O esquema é tipo Subway. Escolha o pão (pita ou de hambúrguer, por exemplo), o molho (tzatziki, hummus, etc), o recheio (carne angus e cordeiro, entre outras) e finalize com cebola, tomate e alface.

Para a sobremesa a pedida certa é um sorvete. A rede Gelarti aparece em vários pontos da cidade (peça o cherry chips, de cereja, delicioso). Artesanal, a Granclément (Avenida Central) serve exemplares de babar.

Suvlas Cidade do Panamá/Foto: Site oficial
O Suvlas serve fast food grego de tirar o chapéu

Além dos sabores tradicionais, ela tem outros ousados, tipo de lavanda, hortelã ou manjericão. Ainda nesse mercado gelado, a loja Forever Yogurt (Casa Vida, Avenida A) leva a febre dos iogurtes, meio em baixa no Brasil, a nível estratosférico, com variedade enorme de sabores e toppings.

Também fincada no Casco Viejo, a franquia é um oásis, com ar-condicionado no talo, pronta para refrescar os clientes em meio ao clima quentíssimo (e úmido) da cidade, que é tipo um Rio de Janeiro no verão em plena América Central.

_____________________________________________________

COMO CHEGAR
A Copa Airlines é a principal companhia aérea do país e tem voos saindo direto de Brasília.

MOEDA
O Balboa é a oficial e vale o mesmo que o dólar, este também aceito em qualquer lugar. Só fique ligado na hora do troco, que provavelmente virá nas pratinhas locais.

TEMPERATURA
Na Cidade do Panamá faz calor o ano inteiro. Então empacote roupas leves e mantenha-se hidratado. Leve sempre um casaquinho, se possível, pois os locais fechados são climatizados sempre a baixíssimas temperaturas. Não se engane com a chuva — ela deixa tudo mais abafado.

Anúncios