Começa a Mostra do Filme Livre 2018

A Mostra do Filme Livre, que começa nesta terça (24/3) no Centro Cultural Banco do Brasil, preza pela quantidade — 230 filmes compõem a mostra –, mas também pela qualidade — afinal, desses 230, 160 passaram por uma peneira de 1.120 inscritos.

Os 200 contam curtas, médias e longas vindos de diferentes regiões do país e realizados, na maioria, num esquema de produção que mantém a ideia de liberdade do nome da mostra — ou seja, à margem de de editais e/ou leis de incentivo.

“Nos últimos anos a MFL tem sido grande vitrine do cinema brasileiro. E que bom que o foco desta mostra seja os independentes, não comerciais, deixando evidente a potência de nosso cinema livre, autoral”, diz Guilherme Whitaker, o Guiwhi.

Por três meses, Guilherme, criador e organizador da mostra, e os outros integrantes da curadoria, Gabriel Sanna, Diego Franco, Scheilla Franca, assistiram a todos os inscritos e mais alguns. Selecionaram 160 filmes e convidaram outros 70.

“Muitos deles são urgentes, tanto no fazer quanto no mostrar. Para esses filmes é que nascemos e seguimos na luta para que eles sejam vistos por um número cada vez maior de pessoas”, comenta Guilherme.

A mostra começa com a exibição do documentário Híbridos — Os Espíritos do Brasil, de Vincent Moon e Priscilla Telmon, que participam da sessão, seguida de debate. Na programação que segue até 20 de maio, destaca-se ainda o cinema feito por mulheres.

Dos 230 filmes na programação, 85 são dirigidos ou codirigidos por mulheres. E para refletir sobre essa questão, será promovido no dia 6 de maio, às 19h, o debate Nossa Porção Mulher, com a participação de Janaína André, Nina Rodrigues e Yale Gontijo.

Veja a programação completa no site da Mostra do Filme Livre. Mas a listinha abaixo pode lhe ajudar a se situar numa programação tão extensa:

Sessão por sessão (todas no CCBB):

Abertura
Exibição de Híbridos — Os Espíritos do Brasil + debate com os diretores

Curta DF
Exibirá filmes realizados na capital federal

Panorama Livre (seis sessões) 
Competitiva. Exibição dos 26 principais curtas.

Caminhos (duas sessões)
Competitiva. Exibição de sete filmes de estudantes.

Longas Livres (sete sessões)
Competitiva. Exibição dos principais longas do evento.

Homenagem a Olivio Tavares de Araújo
Exibição de curtas e debate com o realizador paulista.

Destaque Marcus Curvelo
Exibição dos filmes do cineasta baiano, com debate.

Sessões Autores Livres (nove)
Exibição dos filmes de realizadores que já participaram da MFL

Questão de Gêneros (quatro sessões)
Exibição de filmes de terror.

Especial Tantão
Exibição dos filmes sobre o artista carioca multimídia Tantão

Cabines Livres (14 sessões)
Exibição dos videoartes e filmes não narrativos passando em loop

Territórios (cinco sessões)
Exibição dos filmes sobre questões relativas ao uso da terra, urbanidades e migrações

Sessão Mundo Livre
Exibição dos filmes feitos fora do Brasil por brasileiros

Sessão Pilulas
Exibição dos 19 filmes com até 5 minutos

Sessão Biografemas
Exibição dos filmes com ou sobre outros artistas

Sessão Coisas Nossas
Exibição dos filmes feitos pela produção e curadoria da MFL (destaque para o novo curta de Christian Caselli e o novo trabalho de Gabriel Sanna, com Caetano Veloso)

Mostrinha Livre
Sessão de 30 minutos, com exibição de curtas infantis.

Anúncios