Tio Armênio combina sabor, fartura e preço

Por Rosualdo Rodrigues
Editor do Boníssimo

O Boteco fechou, na 406 Sul, para dar lugar ao Tio Armênio, outra marca do Grupo Dias, de Recife (PE), o mesmo do japonês Kojima. Aliás, é Alexandre Faeirstein, chef do Kojima, quem está comandando a operação da nova casa.

Porém, a cozinha está a cargo do paraibano Adalberto Almeida, que já trabalhou em restaurantes como Rubaiyat, Veridiana e Adega Santiago, todos em São Paulo.

A proposta da nova casa é servir “comida farta a um preço convidativo”. O ambiente não deixa de ter um quê do Boteco — o Tio Armênio até manteve o chão quadriculado do antigo bar. É descontraído, com bandejas de chope geladíssimo circulando pelo salão.

Foto: Rosualdo Rodrigues/Boníssimo
Bolinho de bacalhau (R$ 28 a porção de cinco unidades)

O algo a mais é o cardápio, no qual sobressaem clássicos das cozinhas portuguesa e brasileira, servidos em porções para uma ou duas pessoas. De fato, bem fartas e a preços “honestos”, como dizem por aí.

Mas o bacana é que a promessa de oferecer quantidade e bom preço não faz a casa esquecer a qualidade. O que se tem no Tio Armênio é comida de conforto, saborosa, com gostinho de casa de avó.

Para começar, o bolinho do bacalhau (R$ 28, cinco unidades) é perfeito, sequinho por fora e leve e úmido por dentro, com o sabor do bacalhau sobressaindo ao da batata, como deve ser.

Tio Armênio _ Casquinha de Caranguejo
Casquinha de caranguejo (R$ 18 a porção com três unidades)

Deixa transparecer a boa qualidade e o frescor dos ingredientes, da mesma forma que a casquinha de caranguejo (R$ 18, três unidades). Essa vem na concha, com fina crosta de farinha sobre o preparo cremoso de tempero equilibrado.

Entre os principais, o bacalhau tem status de estrela, aparecendo em seis receitas. O à portuguesa (ao forno no azeite, com ovo, batatas ao murro, brócolis, tomate e cebola, R$ 50 ou R$ 92, para dois) não precisa de nenhum reparo.

A ótima aparência (que pode ser conferida na foto do alto) corresponde ao sabor, tanto do peixe assado no ponto quanto nos acompanhamentos tenros. Só perde para o arroz de pato com choriço português (R$ R$ 33 ou R$ 81, para dois).

Bricelet do Tio Armênio/Foto: Divulgação
Sobremesa das freiras (R$ 14)

Com grãos cozidos à perfeição, molhadinho e com acentuados aroma e sabor de defumado que vem no chorizo, o arroz de pato é daqueles que, uma vez provado, vai fazer você voltar ao Tio Armênio somente para comê-lo.

Na sobremesa, a cartola (R$ 14) vem à moda pernambucana, um pouco seca, e pode decepcionar quem prefere o doce mais cremoso, da forma como é servido no Mangai, por exemplo. Na dúvida, vá de sobremesa das freiras (R$ 14).

Ela é feita com o bricelet, um biscoito finíssimo, parecendo hóstia, feito pelas freiras de Olinda. Na receita, os biscoitos vêm servidos como um pavê, com sorvete de creme e calda de chocolate. Acredite: é leve e refrescante.

Cartola do Tio Armênio
Cartola, do jeito tradicional pernambucano, (R$ 14)

Para completar, nos dias de semana, o Tio Armênio tem menu executivo ao preço de R$ 29,90 por pessoa. São três opções de pratos a cada dia (carne, frango ou peixe), acompanhados por um suco e uma sobremesa.

Uma dica: se você for e tiver baião de dois entre as opções, não pense duas vezes. É servido numa panelinha de aluminio, com um pedaço de queijo de coalho assado por cima. Embaixo, uma combinação de cremosidade e sabor de ficar na memória.

___________________________________________________

Tio Armênio
406 Sul, Bloco D, Loja 35, 61 3879-1600. Segunda a quinta, das 12h à 0h; sexta e sábado, das 12h à 1h; domingo, das 12h às 23h.

Anúncios