10 dramas argentinos para assistir na Netflix

No início dos anos 2000, o cinema argentino começou a ganhar o público brasileiro pela capacidade de contar histórias humanas em narrativas simples e profundas. Vinte anos depois, jovens cineastas mantêm essa qualidade.

Na Netflix, são várias as amostras de diretores argentinos estreantes ou, no máximo, em seu terceiro filme, e que apontam para uma diversidade de temas que vão da ditadura militar na Argentina até dramas íntimos. Aqui uma seleção de 10 dos bons:
Planeta Flix 2
“O Sangue do Galo” (2015)
Homem acorda espancado, encapuzado e desmemoriado em local desconhecido. Aos poucos, monta o quebra-cabeças de sua vida. Primeiro longa de Mariano Dawidson, diretor formado na publicidade e na direção de clipes. Sangue novo.

“Filha Única” (2016)
A jovem Delfina vive em Nova York. Ao voltar a Buenos Aires, recorda seu passado. O belíssimo (quarto) filme de Santiago Palavecino trata de forma lírica e poética as questões familiares, tendo como pano de fundo a ditadura militar argentina.

“Tokio” (2015)
Comédia dramática sobre o amor na terceira idade, feita com a delicadeza que o tema pede. Um pianista e uma mulher misteriosa, ambos já muito vividos, encontram-se casualmente num clube de jazz e vivem uma noite de amor antes dele partir para Tóquio. Segundo filme de Maximiliano Gutiérrez.

Como Funcionam Quasee Todas as Coisas (2015)
Garota de pequena cidade argentina, que acaba de perder o pai, deseja ir à Itália em busca da mãe, que os abandonou quando ela era pequena. Típica narrativa argentina, ao mesmo tempo profunda e simples. De outro diretor estreante, Fernando Salem.

Morte em Buenos Aires (2014)
Natalia Meta estreia na direção de longas com um suspense ambientado na década de 1980. Um membro da alta sociedade portenha é assassinado e a investigação cabe a um rigoroso detetive, em parceria com um novato. No elenco, Chino Darín, filho do Ricardo Darín.

Sangue na Boca (2016)
Leonardo Sbaraglia (“Relatos Selvagens”) interpreta um boxeador maduro que perde as estribeiras depois que se apaixona por uma jovem boxeadora. Uma feliz estreia na direção de longas do cineasta Hernán Belón.

Abzurdah (2015)
A história de uma paixão obsessiva de uma garota por um homem mais velho, que ela conheceu numa sala de bate-papo na internet. É o terceiro longa da diretora Daniela Goggi, adaptado de romance autobiográfico de Cielo Latini.

Neve Negra (2016)
Os astros Ricardo Darín, Leonardo Sbaraglia e Fernando Luppi estão no elenco do sombrio e envolvente drama familiar, dirigido por Martin Hondara (de “Nove Rainhas”). O reencontro de três irmãos na Patagônia traz de volta a história de um crime.

Gato Negro (2014)
A ação se passa entre os anos 1950 e 1980, narrando a trajetória de um menino pobre da província de Tucuman que se torna empresário de sucesso em Buenos Aires, no momento em que a Argentina recupera a democracia. De Gáston Gallo, também estreante.

Pasaje de Vida (2015) — foto no alto da página
Outro filme com Chino Darín, agora dirigido por Diego Corsini (produtor experiente em seu segundo filme como diretor). Nos anos 1970, durante a ditadura militar argentina, dois jovens integrantes do movimento guerrilheiro motoneros têm que decidir entre o amor e a luta.

Anúncios