Comece bem a semana ouvindo Dead Combo

Divulgação

Nos vídeos do Dead Combo no YouTube, são frequentes comentários do tipo “como é que não conheci isso antes?!”. Foi a pergunta que também me fiz há poucos dias, quando ouvi casualmente “Este Olhar Que Era Só Teu”, numa playlist aleatória do Spotify.

Na música, as cordas dispensam palavras para descrever sentimentos profundos. É de um intensidade impressionante. Um fado pouco convencional, que remete a trilha sonora de velhos filmes de faroeste, jazz, rock progressivo, música cigana, tango…

Mas isso, eu também descobri, é em síntese a música desse sensacional duo lisboeta, formado pelos músicos Tó Trips e Pedro Gonçalves, em atividade desde 2004 — “como é que não conheci isso antes?!”, repito.

Tó e Pedro se dividem entre violões, guitarras e contrabaixo. Pedro também toca o kazoo (um instrumento de sopro de origem africana que altera o trimbre da voz) e a melódica (um pequeno teclado de sopro, também conhecido como escaleta).

Com esse conjunto de instrumentos, os dois músicos portugueses produzem uma música instigante e emocionante. Um dos melhores trabalhos na categoria instrumental feitos neste século em todo o mundo.

Não, não é exagero. São nove os nove álbuns já lançados por eles, e impressiona a qualidade que se mantém do primeiro ao mais recente, “Dead Combo e as Cordas de Má Fama”, de 2016. Uma conjunção de técnica e emoção que só poderia sair da terra do fado.

E sabe o que é o melhor de tudo? É possível ouvir todos os álbuns nas plataformas digitais como Deezer e Spotify. Santa tecnologia!

Anúncios