3 livros melhores que os filmes neles inspirados

Divulgação

Literatura e cinema são linguagens completamente diferentes, mas que se encontram na função de contar histórias. Daí que os livros frequentemente alimentam a imaginação de diretores. Comparar filmes adaptados aos livros que os inspiraram, porém, não é justo.

Um filme tem que ser avaliado como obra cinematográfica, tem vida independente. Livro, como literatura. Nesses três casos, porém, por mais que tenham qualidades as histórias contadas em película, nenhuma dela dispensa a leitura do livro-base.

(De qualquer modo, vale a dica: os três filmes estão disponíveis na Netflix)

TarantulaTarântula
(De Thierry Jonquet, Record, 160 págs., R$ 43,90)
Pedro Almodóvar adaptou “Tarântula” com toda liberdade em “A Pele que Habito”. Fez um filme intrigante, mas mesmo quem o assistiu vai se impressionar com a narrativa do autor francês Thierry Jonquet. É carregada de detalhes que tornam a história mais convincente, plausível e assustadora. Também impressiona o estilo conciso do escritor, que resolve sua bem urdida trama em poucas páginas.


Nossas NoitesNossas Noites
(De Kent Haruf, Companhia das Letras, 160 págs., R$ 39,90)
O diretor indiano Ritesh Batra é responsável pela adaptação do livro, numa produção original da Netflix (seu segundo longa nas EUA). O escritor Kent Haruf coassina o roteiro. O resultado é um filme tão delicado quanto o romance, sobre o amor na velhice. Mas incomoda a escalação de Robert Redford e Jane Fonda (foto no alto) para os papéis principais. São glamurosos demais. No livro, Addie e Louis parecem ser tipos mais comuns.

A Viagem de 100 PassosA Viagem de 100 Passos
(De Richard C. Morais, Record, 304 págs., R$ 54,90)
No filme, o diretor sueco Lasse Hallström optou por suprimir boa parte do começo e do fim do livro. É clara sua intenção de transferir o protagonismo, que no romance é de Hassan (Manish Dayal), para Madame Mallory (Helen Mirren). Também tempera a trama com doces doses de romance que o livro não tem. Neste, mais do que nos outros, ler o livro é muito mais recomendável.

Anúncios