Mostra “Renato Russo” abre no MIS, em São Paulo

Abre nesta quinta-feira (7/9), no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS-SP) a mostra “Renato Russo”, com objetos do acervo pessoal do cantor e compositor, cedidas pelo filho dele, Giuliano Manfredini.

A exposição é resultado de pesquisa realizada no acervo que se encontrava no apartamento em Ipanema onde Renato viveu no período de 1990 a 1996, no Rio de Janeiro. O imóvel ficou intacto por 20 anos.

A partir da autorização de Giuliano, o Cemis (Centro de Memória e Informação do MIS) iniciou em março de 2015 o trabalho de seleção e recuperação de objetos e documentos. Ao mesmo tempo, o Cemis realicou a pesquisa para contextualizar o material.

Com curadoria de André Sturm (ex-diretor do MIS-SP) e direção de arte do Ateliê Marko Brajovic, a exposição promete um mergulho da mente criativa do músico consagrado como vocalista da Legião Urbana.

Para tanto, foram reunidos desde peças de vestuário e fotografias até manuscritos, documentos escolares e desenhos. Há ainda discos, livros, troféus, folhetos e cartas de fãs.

Entre os itens mais curiosos, um projeto de Renato Russo para transformar em ópera o romance “Bom-Crioulo”, de Adolfo Caminha. Publicado em 1895, a obra da escola naturalista foi uma das primeiras da literatura brasileira a tratar da homossexualidade.

“Renato Russo”, a mostra, fica em cartaz até 28 de janeiro. A edição mais recente da Revista da Cultura traz uma matéria bem completa sobre o evento. 

Para informações sobre horários e preços de ingresso, acesso o site do MIS-SP.

Anúncios