“O Inverno” abre Mostra de Cinema Argentino

Divulgação

Por seis dias, a partir desta quarta–feira (23/8), as sessões das 19h do Cine Brasília serão ocupadas por produções argentinas. Quatro longas de ficção e dois documentários compõem a programação, que tem entrada franca.

A 2ª Mostra de Cinema Argentino será aberta com a exibição de “O Inverno” (2016, foto no alto), filme de estreia de Emiliano Torres, que levou o Prêmio Especial do Júri e o de melhor fotografia no 64º Festival de San Sebastián, Espanha.

O drama ambientado na Patagônia também foi premiado nos festivais de Biarritz (melhor ator, para Alejandro Sieveking, e melhor filme da crítica francesa), Havana (ópera prima) e Mônaco (melhor filme).

A programação segue com a apresentação dos seguintes filmes, sempre às 19h:

Dia 24/8 (quinta)
“Ressurreição” (2015), de Gonzalo Calzada
Terror. No ano de 1871, jovem padre viaja a Buenos Aires para ajudar a pessoas doentes no que, em princípio, parece uma epidemia de febre amarela.

Dia 25/8 (sexta)
“Buscando a Tita” (2016), de Teresa Constantini
Documentário sobre a atriz e cantora de tango argentina Tita Merello (1904-2002), um mito do gênero.

Dia 26/8 (sábado)
“Viemos de Muito Longe” (2012 ), de Ricardo Piterbarg.
Documentário. Acompanha o grupo de teatro Catalinas Sur, do bairro portenho de La Boca, na montagem de uma peça teatral sobre imigrantes chegados à Argentina.

Dia 27/8 (domingo)
“Cidadão Ilustre” (2016), de Hernán Duprat e Mariano Cohn
Outro título avalizado pelos prêmios: ganhou o Goya de melhor filme iberoamericano e o de melhor ator (para Oscar Matínez) no Festival de Veneza.

Dia 28/8 (segunda)
“Dolores” (2016), de Juan Dickinson
Coprodução argentino-brasileira. Após muitos anos longe de seu país-natal, a protagonista retorna à fazenda da família e fica dividida entre o cunhado agora viúvo e um rico fazendeiro filho de alemães.

Anúncios