Globo vai exibir série cômica de época

João Miguel Júnior/Globo

Acostumado a escrever comédias sobre as relações e os costumes no mundo moderno, Bruno Mazzeo enfrenta um desafio em seu próximo trabalho como autor: fazer graça com o cotidiano de uma família brasileira no século 19, mais precisamente no período pós-independência do país.

“Filhos da Pátria”, a série que estreia na GloboPlay em 3 de agosto, pretende lançar um olhar crítico e bem-humorado sobre uma típica família de classe média no Brasil desse período. A produção tem direção artística de Mauricio Farias.

Para Bruno, porém, não faz muita diferença. “A história é atemporal, estamos tratando da nossa essência também. A isso juntou-se o desejo de falar sobre a história do Brasil. O que acontece hoje em dia é a conta do que já vem há muito tempo” , diz.

À frente do elenco de “Filhos da Pátria” estão Alexande Nero e Fernanda Torres. Eles formam o casal Geraldo e Maria Teresa Bulhosa. Ele, homem de bem, prestativo por natureza. Ela, mulher classista, materialista e alpinista social confessa.

“Quando o Bruno Mazzeo me deu a sinopse para eu ler, me candidatei a interpretar Maria Teresa. Ela é de uma era pré-pré feminismo, muito retrógrada. A série fala com humor e inteligência sobre a ‘origem do caos’” (Fernanda Torres)

Johnny Massaro e Lara Tremouroux interpretam Geraldinho e Catarina, os filhos do casal. Em torno da família giram ersonagens, como Leonor (Leticia Isnard), irmã de Maria Teresa, que a inveja por ser casada com o industrial Murilo (Felipe Rocha)a.

“Filhos da Pátria” conta ainda com um superlenco de coadjuvantes. Participam da série nomes como Matheus Nachtergaele, Marcos Caruso, Serjão Loroza, Flávio Bauraqui, Leticia Isnard, Karine Teles, Saulo Laranjeira.

A produção estará disponível no GloboPlay a partir de 3 de agosto, mas a previsão é de que entre na programação da emissora somente em setembro.

Anúncios