Letícia Novaes arrasa em estreia solo, como Letrux

Sillas Henrique/Divulgação

A presença de Marina Lima como convidada na faixa “Puro Disfarce” não é mero acaso. Há muito em comum entre a música e a poesia dela e a de Letícia Novaes, a ex-Letuce, que agora se lança em solo, assinando Letrux, com o álbum “Em Noite de Climão”.

Assim como Marina, Letícia tem uma elegância e um jeito todo próprio de falar das relações amorosas e do mundo ao redor, em letras e melodias. Sabe também fazer como ninguém esse cruzamento do pop com a música brasileira mais tradicional.

“Em Noite de Climão”, por exemplo, começa com um verso que lembra um samba-canção: “Que engraçado, sobrou tão pouco/ Que tragédia, foi tudo tanto”,  em “Vai Render”. Aliás, a faixa seguinte, “Ninguém Perguntou Por Você”, também fala de fim de romance…

Se tem algo de autobiográfico — Letícia formava o Letuce com seu então namorado, Lucas Vasconcelos –, pouco importa. Dor de cotovelo não é bem o clima desse disco. “Climão” é alto astral, dançante, com pegada eletrônica e muitos sintetizadores.

Nisso, os pontos altos são as deliciosas “Puro Disfarce” e “Coisa Banho de Mar” (com um sensacional solo de teclados bem retrô). Mas a verve criativa de Letícia Novaes está espalhado por todas as 11 faixas,  produzidas em parceria com a guitarrista Natalia Carrera e o tecladista Arthur Braganti.

A compositora de versos originais e a intérprete que usa seus recursos de atriz (o que também ela é) fizeram do Letuce uma das propostas musicais mais interessantes da nova música brasileira. E estão em toda sua forma em “Em Noite de Climão”. Altamente recomendável.

Sobre o projeto solo, Letícia deu ótima entrevista ao blog Disco Punisher.

Leia: ‘Penso na letra não só como letra de música, mas como literatura também.’ – Letrux

Anúncios