Aos 79 anos, Dona Onete ganha o mundo

Reprodução

Aos 79 anos, Dona Onete tem vencido as limitações físicas comuns à idade para divulgar sua música na Europa. E a repercussão por lá é boa. A revista Songlines, por exemplo, dedicou à cantora e compositora paraense a capa e uma matéria especial em sua edição de julho.

Animado pelo novo disco de Dona Onete, “Banzeiro”, o repórter da revista Alex Robinson foi até Belém para conversar com ela e se encantou com a disposição da artista. O resultado da visita foi uma matéria especial, com o título “The Queen of Amazonia” (“A rainha da Amazônia”).

Reprodução Songlines

Dona Onete também andou causando em Paris. Na quarta-feira (12/7), ela se apresentou na casa La Bellevilloise, parte de uma turnê europeia que também inclui ainda Alemanha, Reino Unido e Holanda.

Na capital francesa, deu entrevista à rádio RFI, no hotel em que estava hospedada. Falou sobre seu envolvimento com a música, a paixão por  Cauby Peixoto e Emilinha Borba e como foi cantar para uma plateia em que estavam Caetano Veloso e David Byrne.

“Cantei como se não estivessem lá. Não adianta se emocionar para errar a letra da música”, disse. A entrevista à RFI rendeu também uma matéria que está disponível no site da emissora.

E não é de hoje que Dona Onete encanta estrangeiros. No ano passado, a agenda dela incluiu shows em Cleveland, Chicago, Albuquerque e Nova York, nos Estados Unidos. Também passou por Londres e deu entrevista a Cherys Matthews (ex-Catatonia) na BBC.

Ouça: “Banzeiro”

Anúncios