Homofobia chegou ao Brasil com os europeus

Reprodução/Revista Cult

Antes da chegada dos europeus ao território hoje chamado Brasil, os que aqui viviam, que passaram a ser chamados de índios, levavam uma vida sexual completamente livre de preconceitos.

Os colonizadores, no entanto, trataram de cortar as asinhas dos nativos, impondo seus pontos de vista sobre o que seria o comportamento adequado.

Sobre o tema, os antropólogos Estevão Rafael Fernandes e Barbara Arisi realizaram o estudo “Gay Indians in Brazil: Untold Stories of the Colonization of Indigenous Sexualities” (“Índios Gays no Brasil: Histórias não contadas da colonização das sexualidades indígenas”).

“(…) a pesquisa traz exemplos da diversidade de práticas sexuais que datam de muito antes dos processos de colonização: homossexualidade, poligamia e até mesmo algo semelhante à transgeneridade e ao não-binarismo”

O estudo da dupla deu origem a livro, editado em inglês pela editora alemã Springer, que ganhou uma ótima resenha da jornalista Helô D’Ângelo, publicada no site da revista Cult.

O texto em destaque acima é um trecho da matéria. A imagem que ilustra este post é reprodução da arte sobre litografia de Jean Baptiste Debret “Índio Camaçá Mongolo”.

Leia: Estudo mostra diversidade de práticas sexuais entre indígenas no Brasil pré-colonial

Anúncios